sexta-feira, 2 de julho de 2010

4 comentários:

  1. Olha, e esta também já pus num bogue meu, em tempos. Granda maluquice. Amamos imenso o Henri. Também amo o Doisneau.

    ResponderEliminar
  2. Sim o Doisneau também, o beijo do Hotel de Ville (?). A coisa encenada mais bonita da história da espontaneidade fotográfica. E André Kertész? E Man Ray?

    ResponderEliminar