quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Visto daqui


Pensei há tempos em tentar fazer uma colagem que expressasse algum aspecto da minha vida na Inglaterra pós-Brexit. A confusão geral reina, a abada dos tories nunca aconteceu, o Jeremy Corbyn (alguém francamente decente em qualquer dos casos) recuperou uma aura de respeitabilidade que garante com maior ou menor eficácia que os Conservatives tão depressa não tentam outra eleição. O verão decorre a uma temperatura de inverno. Uma pessoa percorre o triângulo entre uma ou duas livrarias de casaco north face abotoado até meio dos olhos  e topa com livros do BoJo em secções respeitáveis, versando os ditos livros sobre assuntos que convidam reflexões mais ou menos freudianas - seria o mesmo que ter o Santana Lopes a escrever livros sobre o império romano.


Entretanto alguém despacha a tal colagem, que é aquela que se vê ali acima. Arriscaria ainda o palpite de que esta colagem vai bem com esta série de tweets do James Chapman, que será apelidado de remoaner e scaremonger.  A maior parte das perguntas que ele coloca, no que parece ter sido um momento que aconteceu algures entre o estar lixado da vida e o colapso nervoso, deviam ser óbvias mas continuam sem ser debatidas.

Inglaterra é um país verde e frio durante o verão, uma pessoa senta-se num banco de jardim posto num cemitério a comer a sandes do almoço e a ouvir o Morrissey cantar sobre as escolas de Manchester. Se tudo falhar, há-de sempre haver aquele clip do Oscar Isaac no Inside Lewyn Davis, a cantar o The death of queen Jane, que inclui aqueles versos: If I lose the flower of England, I shall lose the branch too.  


sábado, 5 de agosto de 2017

Um excerto de James Salter, A Sport and a Pastime


Autun, still as a churchyard. Tile roofs, dark with moss. The amphitheatre. The great, central square: the Champ de Mars. Now, in the blue of autumn, it reappears, this old town, provincial autumn that touches the bone. The summer has ended. The garden withers. The mornings become chill. I am thirty, I am thirty-four - the years turn dry as leaves.

James Salter, A Sport and a Pastime, Picador, p. 7